Àquela menina ali lendo. Por Luciano Bedin da Costa

Ilustração de Júlia D’Ávila da Costa, 7 anos   Dedicado às escolas públicas e a todas as crianças, jovens e professoras que as tornam ainda possíveis apesar de todo o descaso.   Tem coisas que tropeçam na gente e que de tão tocantes nos pedem logo uma palavra. Semana passada conheci uma menina muito especial …

Uma artista Afegã pela democracia. Por Luís Henrique Ramalho Pereira e Vanessa Solis Pereira

“ Onde os grafites gritam Não dá pra descrever”. (Criolo) A fotografia impressa no jornal apresenta homens com barbas cerradas cercados por armas. Estão compondo uma imagem de unidade em torno do representante político, que estava prestes a anunciar mais uma versão do poder do talibã. A imagem ameaçadora é mais uma entre tantas que …

Chegou a hora das polícias (e das forças armadas) prenderem as polícias – Paulo Endo (especial para Psicanalistas pela Democracia)

Mais um-entre tantos- alerta nacional, geral e urgente. O desgoverno das milícias é também o governo dos desesperados, covardes, infames e assassinos. São esses, como muitos de nós prevíamos, desde o início do mandato, que se levantariam às vésperas da queda do atual governo. Mas de boas previsões, o inferno… quero dizer, o Brasil está …

Se não sairmos das ruas poderemos vencer! Por Paulo Endo 

Mais cidades, mais pessoas, mais grupos e coletivos, mais alegria, criatividade, solidariedade e vida nas ruas. As ruas falam, cantam, dançam, gritam, choram no 19J. No domingo, mais uma vez, as ruas humanizaram o Brasil! Ontem notícias de que a esquerda congressista voltará a insistir no impeachment no congresso nacional. Se insistir em travar o …

Nota de solidariedade à Manuela D’Ávila

Nós, das instituições, organizações, grupos e coletivos de psicanálise abaixo assinados expressamos nosso apoio e solidariedade e manifestamos nosso repúdio aos ataques misóginos, covardes e execráveis que têm sido desferidos à Manuela D’Ávila, ex-deputada federal e ex-candidata a prefeita de Porto Alegre – com mais de 45% dos votos recebidos nas urnas –, e à …

As ruas mataram, comeram (devoraram) e broxaram o pobre e decaído jair – Por Paulo Endo

As ruas mataram, comeram (devoraram) e broxaram o pobre e decaído jair Especial Psicanalistas pela Democracia, por Paulo Endo As ruas brasileiras foram magnânimas como há muito tempo não se via desde o advento das torcidas. Podem e devem ainda ir muito além. Uma mistura de festa, celebração e sentido de urgência. Ninguém queria estar …

Os vaga-lumes e os tempos de desvario – por Leonardo Beni Tkacz

Os vaga-lumes e os tempos de desvario  Leonardo Beni Tkacz   No sábado, 01/05/21, dia do trabalho, passei por uma experiência que me instigou a escrever esse artigo. Faço caminhadas frequentes pelos arredores de onde moro. Nesse trajeto, passo por dois símbolos distintos da cidade de São Paulo, separados por um trecho de avenida. De …

6 de maio: dia de descomemorar a “profissão” de psicanalista! Por Luciano Elia

6 de maio: DIA DE DESCOMEMORAR A “PROFISSÃO” DE PSICANALISTA! Dia de comemorar o fato de que a psicanálise não é uma profissão, e que o psicanalista não é um profissional que deva ter um dia a ele dedicado.   6 de maio: Dia em que nasceu um homem que ousou enfrentar o mundo acadêmico, …

Considerações sobre a servidão voluntária e identificação com o agressor e sob o impacto do filme Tigre Branco (contém spoilers!). Por Jaquelina Imbrizi & Julia Bartsch.

“A vida no capitalismo tardio é um contínuo rito de iniciação. Todos têm que mostrar que se identificam integralmente com o poder de quem não cessam de receber pancadas.” (Horkheimer & Adorno, 1985, p.144)   Somente uma “recepção dispersa” (Horkheimer & Adorno, 1985) dos telespectadores ao assistirem filmes indianos poderia desencadear o juízo de que se …

A Devastação Perversa – Por Norton Cezar Dal Follo da Rosa Jr.

  Vivemos um processo de devastação da vida, da cultura, da dignidade humana, das riquezas e das instituições do nosso país. Os sentimentos decorrentes dessa destruição, arquitetada perversamente, são múltiplos, indo desde o medo, a raiva, o nojo, a indignação, até a mais surpreendente apatia e indiferença, que, por vezes, parecem uma forma de cumplicidade …

A democracia exige coragem: notas sobre a importância de resistir ao fascínio pela obediência servil – Por Norton Cezar Dal Follo da Rosa Jr

O livro da filósofa e psicanalista Cynthia Fleury, intitulado La fin du courage1, parece-me pertinente para a atualidade. Nesse ensaio, além de sustentar a tese de não haver coragem política sem coragem moral, a autora demonstra como a filosofia permite fundar uma articulação entre o individual e o coletivo, a partir de uma ampla reflexão …