Mês: janeiro 2017

“Sobre a (des)aplicação perversa da lei” – Por Heloisa Helena Marcon

No dia 22/09/2016 o Tribunal Regional Federal da 4ª Região decidiu que a Lava-Jato não precisa seguir regras dos processos comuns podendo, por exemplo, colocar grampos em escritórios de advocacia, divulgar resultado de  interceptações telefônicas envolvendo a presidente da República e a “importação” de provas da Suíça sem a autorização necessária, conforme documento […]

Continue lendo