18 de maio, Luta Antimanicomial.

O dia 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional da Luta Antimanicomial no Brasil em consideração ao trabalho dos profissionais de saúde por uma sociedade sem manicômios e por um tratamento mais humano aos usuários do sistema de saúde mental.

Psicanalistas pela Democracia aproveitam essa data para render homenagem a Dona Ivone Lara. Mulher e negra, técnica em enfermagem, ela participou ativamente da luta antimanicomial acompanhando de perto ao longo de quase 40 anos o trabalho da psicanalista Nise da Silveira no Instituto Psiquiátrico Engenho de Dentro, trabalhando por mais de 30 anos na Colônia Juliano Moreira.

O dia 18 de maio foi instituído como o Dia Nacional da Luta Antimanicomial no Brasil em consideração ao trabalho dos profissionais de saúde por uma sociedade sem manicômios e por um tratamento mais humano aos usuários do sistema de saúde mental.

Psicanalistas pela Democracia aproveitam essa data para render homenagem a Dona Ivone Lara. Mulher e negra, formada aos 17 anos pela Escola de Enfermagem Alfredo Pinto, especializada em terapia ocupacional, Ivone Lara começou a trabalhar com 25 anos no Serviço Nacional de Doenças Mentais.

Ela participou ativamente da luta antimanicomial acompanhando de perto por quase 40 anos o trabalho da psicanalista Nise da Silveira na Colônia Juliano Moreira.

Dona Ivone Lara era conhecida por percorrer os pavilhões das enfermarias em busca de histórias das relações familiares dos pacientes. Ao longo de quilômetros de estradas no estado do Rio de Janeiro ela ia em busca dos parentes dos pacientes que os haviam abandonado pois pensavam que mais nada poderia ser feito por eles.

Sua contribuição com a saúde mental também passou profundamente pela música e pela terapia musical, conseguindo verba para a compra de instrumentos musicais, organizando oficinas de música, festas e eventos sociais entre pacientes, médicos e familiares.

Seu exemplo na Luta Antimanicomial e na Reforma Psiquiatra ainda segue como referência para todos nós. Que seu trabalho e seus ideais nos acompanhem sempre nessa luta:Sua contribuição com a saúde mental também passou profundamente pela música e pela terapia musical, conseguindo verba para a compra de instrumentos musicais, organizando oficinas de música, festas e eventos sociais entre pacientes, médicos e familiares.

Seu exemplo na Luta Antimanicomial e na Reforma Psiquiatra ainda segue como referência para todos nós. Que seu trabalho e seus ideais nos acompanhem sempre:

 

O samba reinou

A noite inteira de uma tal maneira

Que espantou a tristeza

Provando que o samba de raça tem força e pureza

Quem samba partido alto samba miudinho

O faz com amor e carinho

O corpo se libertando

 

Ginga na cadência que é vida

Apesar de tão sofrida faz o mal se afastar

Ah, como a gente oferece

Tudo que vive a sonhar

Ginga na cadência que é vida

Apesar de tão sofrida faz o mal se afastar

E toda gente feliz cantar

 

Ai meu Deus

Como agradeço por nascer

O samba é minha raiz, minha herança e meu viver

Me consola a beleza

Que ninguém deseja achar

Me guia na minha incerteza

Não me deixa tropeçar

(Samba minha verdade, samba minha raiz)