Mês: agosto 2018

Jornadas de junho: decifra-me ou te devoro. Amadeu de Oliveira Weinmann

  Este artigo é dedicado a  Lorenzo Ganzo Galarça, Bárbara Parobé Mariano da Rocha e Karina Sassi, cujos trabalhos inspiram esta escrita.   Esfinge As jornadas de junho de 2013 são a esfinge da política brasileira contemporânea, ao menos para o campo da esquerda. Na virada de 2017 para 2018, três artigos debruçaram-se sobre as grandes …

Do laço social ao “inconsciente coxinha”: psicanálise, ódio e democracia, Por Gustavo Henrique Dionisio

Partindo de uma espécie de chiste involuntário, já que diante de certas condições absurdas resta pouco senão fazer piada − como é o exemplo da expressão inconsciente coxinha–, mesmo embora não possamos ser tão otimistas quanto ao futuro, pretendo desdobrar neste texto dois problemas que, somados a diversos outros, são de grande importância junto às …

NOTAS SOBRE A EXPERIÊNCIA A CASA. Agulha nº 19. Camila Leichter

Com esse último texto chegamos ao final da longa série de textos do trabalho realizado pelo Laboratório de Pesquisa Psicanálise, Arte e Política da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (LAPPAP/UFRGS) em 2017. Ao longo de vinte e seis semanas, Psicanalistas pela Democracia publicou no site/página os textos inéditos produzidos e apresentados no encontro …

Apoio à nota do Conselho Superior da CAPES ao Ministro do MEC.

Psicanalistas pela Democracia apoia o pedido de ação urgente ao Ministro da Educação em defesa do orçamento do MEC, que preserve, integralmente, no PLOA 2019 o disposto no Artigo 22 da LDO aprovada no Congresso Nacional. Acompanhe na íntegra a nota do Conselho Superior da CAPES. https://sei.capes.gov.br/sei/controlador_externo.php?acao=documento_conferir&codigo_verificador=0746852&codigo_crc=6755A444&hash_download=ef5e65b749e9b6a0c124c56e438345f0dbb86d4b097fccd29f4b4221365642ee971b5a5e507aea925d83d67d1d4d79f08696fa5be30b507aa19122ff68c396a9&visualizacao=1&id_orgao_acesso_externo=0 No esforço ao pedido de ação urgente, será …

E A CASA CAIU: POTÊNCIAS E SUTILEZAS EM UMA DERIVA ENTRE QUATRO PAREDES. Agulha nº 18. LUCIANE BUCKSDRICKER

A deriva iniciada no espaço público costumava ser o ponto de partida e gatilho para minha produção artística inicial. A partir das andanças “ao acaso”[1] pelas ruas das cidades e de fotografias feitas pelo caminho público, o trabalho ganhava corpo e sentido no âmbito privado. Ao longo do tempo, as derivas passaram a ser direcionadas, …