Uma maré feminista avança pelo mundo desde o fim de 2016 e se avoluma cada vez mais até desembocar neste #8M na Greve Internacional de MulheresPolônia > Argentina/América Latina > Islândia > EUA/mundo >>>> Greve Internacional de Mulheres Link para o evento no Brasil: Greve Internacional de Mulheres | Brasil#MulheresEmGreve#ParoInternacionaldeMujeres#InternationalWomensStrikeEdição de Adriana Komura para 8M Brasil

Posted by 8M Brasil on Sunday, March 5, 2017

Há uma vontade de potencializar forças sem calar dissensos, uma unidade a partir de consensos mínimos. O movimento não é vertical, ele gira em roda. (8M/SP)

No dia 8 de março de 2017 está sendo organizada, por ativistas de mais de 50 países, a Greve Internacional de Mulheres. No Brasil, mais de 60 cidades já aderiram ao movimento. Esta ação foi criada após a realização de greves na Polônia e na Argentina, no final de 2016, em resposta às violências sofridas pelas mulheres em todo o mundo: social, política, econômica, legal e moral.

Para se informar mais a respeito deste movimento, pode-se acessar os sites:

http://parodemujeres.com

https://www.8mbrasil.com

O evento 8M, criado no facebook, fornece algumas informações sobre o protesto, além de links para os eventos em cada cidade brasileira:

– Vista uma peça de roupa ou adereço da cor lilás com símbolo de participação no movimento. Ou coloque uma bandeira da mesma cor na sua janela ou no carro

– Pare por um dia as tarefas domésticas como: cozinhar, limpar, cuidar

– Interrompa as atividades laborais remuneradas por toda uma jornada

– Caso não consiga, pare no seu trabalho durante a Hora M, que será definida localmente. Algumas cidades brasileiras adotarão o intervalo de 12h30 a 13h30.

– Durante a Hora M, reúna-se com suas colegas de trabalho para conversar sobre a desigualdades que afetam a todas as mulheres

– Saia às ruas para protestar junto a outras mulheres no horário definido localmente em sua cidade